Dorival muda Flamengo com losango, que deixa Éverton livre para pensar e fortalece marcação – Flamengo Com Vc, Mengo – FALANDO DE FLAMENGO site de notícias do Flamengo

Dorival muda Flamengo com losango, que deixa Éverton livre para pensar e fortalece marcação

Por Redação em 14/07/2022 às 11:05:42 Novo esquema acomodou Pedro e Gabigol juntos contra o Tolima e novamente deu certo contra o Atlético-MG. Entenda como funciona. O Flamengo teve uma atuação infernal contra o Atlético-MG. A vitória de 2 a 0 garantiu vaga nas quartas-de-final da Copa do Brasil e mostrou um excelente desempenho: além de criar chances e obrigar Éverson a fazer grandes defesas, a equipe carioca anulou completamente Hulk e as investidas do Galo, um dos times mais fortes do Brasil.

O bom jogo se dá pela adoção de um novo esquema tático no Flamengo: o 4-3-1-2, também chamado de losango no meio-campo por ter quatro jogadores dispostos quase que num quadrado. Veja na imagem:

Flamengo jogou com um losango no meio-campo contra o Tolima e Galo

Reprodução

+ Dorival exalta vitória do Flamengo sobre Atlético-MG: “Taticamente fiquei satisfeito”

+ Flamengo anuncia contratação de Vidal

+ Gabigol provoca Galo após classificação: ‘Bem-vindo ao inferno’

+ Mansur: no Maracanã da beleza e do caos, o futebol do Flamengo se sobrepôs à insanidade

+ Ceconelo: o inferno era o próprio time do Flamengo

Usado pela primeira vez no 7 a 1 contra o Tolima, o novo esquema vem respondendo a alguns desafios que Paulo Sousa não conseguiu responder no primeiro semestre

É uma forma de acomocar Pedro e Gabigol juntos no ataque sem sacrificar a marcação.

Faz com que Éverton Ribeiro atue numa faixa onde vê e pensa o jogo de frente.

Usa todo o potencial de explosão de Rodinei, um dos melhores do time

E até acha espaço para Vidal, que pode ocupar o lugar de João Gomes

Éverton Ribeiro como peça-chave na construção das jogadas

O esquema tático é um ponto de partida. Abaixo, você verá que ele se desmancha quando o time tem a bola (e precisa se organizar para atacar), quando perde a bola (e precisa roubar lá na frente) ou quando se defende no próprio-campo.

Sendo assim, porque é tão importante entender o esquema?

Porque ele possibilida que jogadores possam fiquem em pedaços do campo mais estratégicos. Quando o Flamengo começa suas jogadas ofensivas, o time forma uma saída de três com Thiago Maia encostando na zaga e João Gomes na mesma faixa dos laterais, que abrem o campo. É possível imaginar Vidal nessa mesma função. Com isso, o Fla prende a marcação do ataque e do meio e faz com que Éverton fique numa faixa acima, totalmente solto em campo. Veja:

Na construção das jogadas, os laterais e Gomes prendem o meio para que Éverton fique livre

Reprodução

Ter um jogador da qualidade de Éverton Ribeiro livre em campo significa um perigo. Porque ele recebe a bola e vê o jogo de frente, com todo o setor ofensivo se movimentando para dar opção de passe. Essa movimentação foi brilhante: Gabigol, Pedro e Arrasca trocavam de posição, e com Rodinei passando, Éverton conseguia conectar os jogadores talentosos mais próximos do gol.

Éverton armava o Flamengo sempre livre, na entrelinha do Atlético-MG

Reprodução

É costume olhar o que um meia-armador faz com a bola nos pés. Mas você já parou pra pensar que, sem uma opção de jogo na frente, nem Zico, nem Messi fazem milagres?

O Flamengo jogou num toque de bola bem claro: primeiro, se posicionava para atacar com aquela saída de três. Se a bola chegava no campo adversário, a ideia era trocar ao máximo de posição para criar triangulações, seja acelerando com Éverton pela direita ou de forma mais cadenciada pela esquerda. Por lá, Filipe Luís controlava mais e acionava Gabigol, que podia sair da direita, esquerda, por dentro…o Galo não conseguia marcar.

Flamengo cheio de inversões perto do setor da bola: Galo não conseguiu marcar

Reprodução

Quando as pessoas falavam que Gabriel e Pedro não podem ajudar juntos, sempre discordei. Se eles participarem correndo para trás também, eles poderiam suprir a necessidade de retomar a bola. Isso vai filtrando para que o meio se restabeleça e as dificuldades da última linha sejam menores. É isso que a gente está vendo, todos participando. O número de bola que o João e o Thiago tomaram acredito que sejam maiores que nas duas primeiras partidas.

Encaixes que sufocavam o Galo: a bola não chegou em Hulk

Quando o Flamengo perdia a bola, a estratégia adotada era sufocar ao máximo o adversário a partir de encaixes bem definidos. Primeiro, todo mundo – incluindo Gabigol e Pedro – precisavam marcar um alvo e acompanhá-lo até ele não conseguir passar a bola com qualidade. A ideia era induzir ao chutão, fazer a falta ou retomar a bola.

Na imagem abaixo, você vê um desses encaixes com Gabigol incomodando um zagueiro, o que qualquer atacante no mundo pode fazer.

Encaixes do Flamengo sufocavam a saída do Atlético

Reprodução

E se desse errado, por algum motivo, principalmente porque o outro lado tem qualidade? Então o Flamengo marcava seu próprio campo também com encaixes. Pedro e Gabigol voltavam até a linha de meio-campo, correndo para trás e sufocando os volantes e zagueiros. Já o meio se desmanchava todo na ideia de encaixar e não deixar a bola ir para frente.

Flamengo marcando o próprio campo: Gabigol e Pedro podem jogar juntos e ajudar na marcação

Reprodução

São poucos jogos com o novo sistema, mas o excelente desempenho com o time titular – 9 gols feitos e apenas 1 sofrido – reforça a ideia de que muitas das questões do Flamengo podem desaparecer com o novo esquema. E ainda tem Wallace e Wendel, peças que chegam justamentee para criar mais opções no meio, junto a Vidal.

Afinal, tudo tem seu lado positivo e negativo. Se o losango cria agressividade e sufoca, também provoca cansaço – o Flamengo soube se defender no segundo tempo, também com encaixes. Mas pensando no calendário insano do Brasil, é importante ter banco para que a estratégia não canse o time para a sequência da temporada, que terá mais uma etapa da Copa do Brasil.

Me siga no Twitter

Me siga no Facebook

Me siga no Instagram

Fonte:

Tags:   .comu_erro {font-size: 10px;color: #aaaaaa;font-weight: bold;text-transform: uppercase;letter-spacing: 0.06em;background: #f4f4f4;padding: 0 10px;line-height: 23px;display: inline-block;margin-right: 2px;border-radius: 5px;cursor: pointer;padding-right: 5px;}.comu_erro svg{margin-top: 1px;margin-left: 5px;} Comunicar erro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.